quinta-feira, 24 de setembro de 2009

OFICINA 7 - TP 5




Traduzir-se
Lemos o poema traduzir-se e após realizamos uma reflexão sobre o conteúdo do mesmo através de imagem produzida por nós. Foi um momento muito legal. Conhecemo-nos um pouco mais. Cada colega expôs o que sentiu e, é claro, através desta expressão o nosso inconsciente se manifestou. Mostramos como nos vemos como ser.
Expressei dois mundos. Um mundo colorido de múltiplas cores, cheio de esperanças, alegrias, paz e integridade. E no outro, o mistério que está obscuro em nós, que estamos sempre decifrando e procurando melhorar ou descobrir. Além disso, expressei um caminho, pois sempre temos escolhas na vida e a nossa vida se direciona para a escolha que fazemos. Portanto, tudo o que procuramos encontramos. E os sinais de interrogação representam as perguntas e as dúvidas pelas quais passamos durante a nossa caminhada. Uma parte sempre é certeza e a outra parte sempre é mistério. Às vezes, nem nós mesmos nos reconhecemos. Surpreendemo-nos com a capacidade que temos para enfrentar obstáculos e persistir na realização de sonhos. E felizmente, nesta jornada, somos movidos pela linguagem que representa virtude, pois através dela realizamos as nossas interpretações para nos mover no meio em que vivemos, seja nos momentos nobres, seja nos momentos desagradáveis que ocorrem em nossa vida.
E nos momentos desagradáveis ainda temos a oportunidade de refletir e verificar o que em nós está inadequado, em que aspecto precisamos nos mover para melhorar e prosseguir. Viver é a tradução do que pensamos e somos e/ou no que nos construímos. Vida para mim é sinônimo de amor.
Autoria: Professora Adelaide Maria Seidel Winck
Três Passos - RS, 20 de setembro de 2009.
PDE / GESTAR II LÍNGUA PORTUGUESA

Nenhum comentário:

Postar um comentário